Busca avançada



Home

Destaque

  • 27/12/2016 Mais amor por favor

    Mais um ano se passou e agora, chegado seu fim, é tempo de pensar sobre o que ocorreu ao longo dele e do que esperar para o ano que chega. Na contramão de um ano conturbado como foi 2016, seu final também é época de rever familiares e amigos não vistos há muito tempo, compartilhar bons momentos com pessoas queridas. É tempo de férias, de viajar e conhecer novos lugares, de sentir as ondas passando sob os pés afundados na areia e esquecer por um breve momento dos problemas cotidianos.

    Esta coleção traz imagens de momentos como os descritos ainda, tentando encerrar o ano que termina com esperanças de começar 2017 com boas energias!

  • 08/11/2016 De bicho papão para bicho de estimação

    Maria Luzia Serraglio viveu sua infância na região do Grande ABC, onde descobriu duas paixões: o vôlei e o desenho. Em seu depoimento ela relata também como foi descobrir que estava com diabetes, o impacto em sua vida e como ela conseguiu transformar uma notícia ruim em uma motivação para levar uma vida mais saudável e feliz.

  • 08/11/2016 Meu filho me fez querer mais da vida

    Antônio fala sobre o problema de obesidade que enfrentou quando criança. No processo de reeducação alimentar, acabou descobrindo o diabetes e, por seu pai também possuir a doença, acabou repensando o sonho de ser pai. Posteriormente, decidiu enfrentar seus medos e hoje busca no filho motivação para viver com mais qualidade de vida.

  • 08/11/2016 O alívio do compartilhar

    Carlos Eduardo Rahal Rebouças de Carvalho descobriu o diabetes ainda na infância após uma conversa com seu pai. Comenta como aprendeu a lidar com a doença, sua relação com a família e a dificuldade em contar sobre a doença para sua melhor amiga.

  • 08/11/2016 Informação que liberta

    Patrícia Pacheco da Cruz descobriu que tinha diabetes quando estava grávida e comenta sobre seus medos e obstáculos que viveu em vários momentos e como conseguiu superá-los. Fala também do medo da hipoglicemia e de como foi aprendendo a se cuidar e a conviver com ela.

  • 08/11/2016 Superando o meu próprio preconceito

    André Lucas Durigan Sardinha relata sobre sua infância e como foi descobrir que estava com diabetes. Conta sobre experiências que viveu na escola, com amigos e sua namorada e como superou o receio de contar sobre sua doença para as outras pessoas. 

  • 08/11/2016 O abismo da falta de informação

    Carlos Magno Gomes de Souza nasceu na cidade de Volta Redonda, no Rio de Janeiro, onde surgiu uma paixão pelo futebol que ele cultiva até os dias atuais. Aos 18 anos, mudou-se para São Bernardo do Campo, em São Paulo, cidade na qual ainda vive. Em 2008, Carlos descobriu que estava com diabetes tipo 2 e, apesar de ser uma doença bastante divulgada, ele relata diversas situações em que a falta de conhecimento ainda se mostra presente no dia a dia das pessoas.

  • 08/11/2016 Lidando com a rotina

    Natalia Theil viveu sua infância no bairro Vila Romana, em São Paulo, e conta como foi criar e manter uma rotina de tratamento e controle do diabetes, bem como o surgimento das dificuldades durante sua adolescência e vida adulta. Com uma vida agitada e sem horários fixos, Natalia descreve como é viver e gerenciar o diabetes em meio à correria do seu dia a dia.

  • 08/11/2016 A importância do apoio familiar

    Guilherme Baladi relembra como foi descobrir ainda na infância o diabetes e, como esta notícia uniu ainda mais sua família para que ele pudesse ter uma vida mais saudável. Guilherme compartilha a importância do conhecimento, do controle do diabetes, bem como o apoio que recebeu dos seus entes queridos como um ponto crucial em sua vida.

  • 08/11/2016 Minha irmã e melhor amiga

    Juliana Puglisi conta como foi descobrir aos 9 anos que estava com diabetes. O diabetes se tornou seu melhor amigo e a “pessoa” mais importante da sua vida. Com uma visão positiva, Juliana conta trechos importantes da sua vida que a tornaram uma mulher e mãe realizada.

  • 08/11/2016 As melhores escolhas

    Nádia conta como descobriu que tinha hiperinsulinemia e todas as situações difíceis que viveu por conta desta condição, chegando ao recém diagnosticado diabetes e seu medo das agulhas. Em um momento de mudanças em sua vida, Nádia compartilha seus maiores medos e descobertas desta nova fase e destaca como é importante gerenciar a doença por meio da informação.

  • 02/03/2016 "É crime, uma pá de lama no Rio Doce"

    Depoente do Museu da Pessoa, Ailton Krenak, fala em reportagem para a Folha Empreendedor sobre o Rio Doce e a luta pelos direitos dos povos indígenas no Brasil. 

  • 02/03/2016 A mocinha que trabalha em casa Não são filhas, não são parentes. Agregadas? Empregadas? Domésticas? Babás? Cozinheiras? Quem são essas mulheres que abrem mão de ter filho, de relacionamentos, se distanciam de suas famílias e de seus sonhos, para cuidar dos filhos e da casa de outros? Um costume com raízes profundas na história nacional, diversas mulheres tiveram suas juventudes interrompidas e terminaram por trabalhar "de favor" na casa de uma família comum ou de senhores regionais. Esta coleção reúne passagens da trajetória de mulheres que testemunharam ou viveram experiências de maus-tratos, preconceitos e violências que, infelizmente, ainda fazem parte do cotidiano brasileiro.

Patrocinadores


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | fax +55 11 2144.7151 | portal@museudapessoa.net
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional