Busca avançada



Home / Explore / Blogs

Dia do Futebol: Zé apresenta Adalberto Barbosa



Museu da Pessoa | Blog do Zé

Você sabia que hoje é o dia do futebol? Minha agenda aqui em cima do balcão me fez lembrar dessa data. E pensando em futebol lembrei de um cara que conheci aqui na loja, o Adalberto Barbosa. Êta homem apaixonado pelo futebol! Ele já jogou bola durante muito tempo e foi técnico de times a vida toda. Quando eu conheci o Adalberto, ele treinava um time feminino. E o mais interessante é que ele estudou coisas completamente diferentes: Administração de Empresas e serralheria artística! A paixão do Adalberto pelo futebol surgiu quando ele era criança e via a alegria que o esporte trazia.

O Adalberto nasceu em Santo André em 1968, quando o Brasil ainda era só bicampeão mundial! Ele tinha dois anos quando a seleção canarinho foi a primeira tricampeã do mundo! Lembra da música da Copa de 70? “Noventa milhões em ação, pra frente, Brasil, no meu coração…” Apesar de ser bem pequenininho naquela época, o Adalberto lembra que todo mundo corria pra fora de casa, pra rua, a cada gol da seleção, pra comemorar. Quando estava na quinta série, o Adalberto começou a se apaixonar por esporte. Ele aprendeu a jogar bola aos 16 anos, dizia que na infância jogava muito mal.

E quando tinha essa idade, ele decidiu montar um time dele mesmo! Comprou camisetas, pintou e chamou 11 amigos pra formar a equipe. Ele dizia que não queria jogar no time de ninguém! Ele não parou mais, começou ali a montar times e fez isso a vida toda. Ele jogou em vários times de várzea. Ele lamentava não ter jogado profissionalmente mas dizia que aprendeu a jogar bola mesmo porque era sempre escalado nos jogos como meio-de-campo. Cara apaixonado mesmo pelo futebol!  

Como eu, o Adalberto trabalhou muito tempo no comércio. Ele começou porque achava legal “aquele negócio de vitrine”, como dizia. Gostava porque os vendedores eram todos “arrumadinhos, limpinhos”. Ele diz que sempre teve aptidão pras novidades. “A partir do momento em que conheci esse novo trabalho, já fui me adaptando”. De vendedor, o Adalberto passou a vitrinista, que tinha um salário melhor. “Eu poderia pegar gerência”, diz. E ele inaugurou várias lojas e trabalhou em quatro redes diferentes. Foi em uma loja inclusive que ele conheceu a mãe da filha dele, que hoje em dia já deve ter uns 20 anos.

 Leia a história completa de Adalberto Barbosa aqui.




Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | fax +55 11 2144.7151 | portal@museudapessoa.net
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional