Busca avançada



Criar

História

O mundo passa por Diadema

História de: Rubens Torres Medrano
Autor: Museu da Pessoa
Publicado em: 27/12/2012

Sinopse

A família, de origem espanhola. Infância na Mooca e o convívio com os avós maternos, quando aprendeu castelhano. O começo da vida profissional em uma firma de gêneros alimentícios da zona cerealista. A atividade do pai, que trabalhara no Mercado Municipal. A formação em Direito e a opção em trabalhar em empresa de derivados de petróleo. Abertura do próprio negócio no mesmo ramo. A grave crise econômica dos anos 80 e a trajetória da empresa. O desenvolvimento do ramo petroquímico no Brasil, a atuação como importador e exportador e a contínua necessidade de melhorias no setor de comunicação.

Tags

História completa

“Em 1981 resolvi abrir minha própria empresa. Foi até interessante, porque, quando eu tomei essa decisão, acabei ficando como agente ou representante da empresa em que eu trabalhei. Eu tinha lá um amigo americano, que foi meu diretor, e quando esse senhor soube que eu ia abrir minha própria empresa, esse senhor, que tinha sido meu diretor nessa outra trading holandesa, ele falou: ‘Você vai ser meu agente no Brasil.’Comecei com escritório lá na Rua Itapeva e, naquela época, em 1981, o Brasil sofreu uma grande crise e chegou mesmo a entrar em moratória. Naquela época foram muito incentivadas, foram muito requisitadas pelo governo as exportações. E começavam a operar os grandes processos petroquímicos, como o da Bahia, um complexo grande, e naquela época eles tinham uma produção suficiente, grande até, para atender o mercado nacional. E, como havia uma recessão no mercado interno, era necessário exportar seus produtos que estavam sendo fabricados naquelas novas unidades. E naquela época, então, eu acho que tive um papel preponderante na exportação daquele polo petroquímico. Tive a oportunidade de desenvolver o mercado indiano com algumas exportações. Viajei duas vezes à Índia, foi uma experiência interessante, um país de costumes totalmente diferentes dos nossos. Acabei entrando também em Cingapura. Foi muito bom esse período, a firma tinha escritório nos Estados Unidos e na Suíça, e eu viajei bastante pela Europa. A minha empresa, nesse período de 1981 a 89, nós atuamos muito na base da exportação dos produtos petroquímicos. Em 1989, já incentivado até por essas empresas que exportavam e que também atendiam o mercado interno, disseram: ‘Rubens, por que você não começa a fazer a distribuição localmente?’ Pareceu uma ideia interessante e, em 1990, nós começamos a trabalhar a parte nacional, fazer distribuição local. Naquela época, as importações eram muito controladas pelo governo. Mas, em 1990, quando o presidente Collor assumiu, ele modernizou o comércio internacional. Caíram certas barreiras, certas proteções econômicas com todos os contatos que existiam com firmas que eu tinha do exterior. E isso foi uma excelente oportunidade, essas empresas me procuraram para eu importar e começar a fazer distribuição local. Foi um período muito bom, acho que era um período em que quase não havia mercado para os produtos estrangeiros, e aquela abertura deu oportunidade à nossa empresa de se firmar como um canal de importações que complementava as necessidades das grandes indústrias nacionais consumidoras. Nós começamos em Diadema, num armazém pequeno, depois acabamos indo para um outro armazém maior e, em 1999, mudamos para as instalações em que estamos hoje, sempre em Diadema.”

Ver Tudo PDF do Depoimento Completo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | portal@museudapessoa.net
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+