Busca avançada



Criar

História

Quebramos a cama

História de: Vanessa Sousa
Autor: Vanessa Sousa
Publicado em: 16/05/2018

Tags

História completa

 

Enquanto minha mãe trabalhava, o meu irmão mais velho era responsável por cuidar de mim e da minha irmã, além das tarefas de casa. Quando chegávamos da escola, depois do almoço, era comum a gente ficar procurando o que fazer, já que naquele horário não passava mais nenhum desenho na TV.

Era os anos 90, nessa época os desenhos japoneses (anime) fazia muito sucesso. Gostávamos muito de assistir um chamado ‘Os Cavalheiros do Zodíaco’, sobre lutadores que possuíam poderes e batalhavam com super golpes, disputando para ver quem era mais forte, além defender a o planeta.

Tivemos a ideia de brincar, para passar o tempo, de cada um ser um desses cavaleiros e duelar como eles faziam no desenho. O problema é que eles tinham um campo de batalha e escolhemos a cama de madeira da minha mãe como o nosso.

Entre muitos pulos e socos (de brincadeira) a cama se quebrou, afundamos na cama com o  colchão já encostado no chão. Nos olhamos assustados, certos que iriamos apanhar quando minha mãe visse o que tínhamos feito.

Não lembro exatamente quem deu a ideia, provavelmente meu irmão, já que era responsável por nós e pela casa, de disfarçar que a cama estava quebrada. Colocando alguns pedaços de madeira que tinha no nosso quintal, muito mal encaixado, para poder segurar o colchão e minha mãe não perceber quando fosse deitar.

Um pouco depois das 18 horas, horário que minha mãe chegava do trabalho, nós já estamos de banho tomado, casa limpa e deitamos na cama, prontos para dormir, não queríamos nem saber da janta, ou dos doces que ela trazia todos os dias para a gente. Ficamos os três cobertos até a orelha, fingindo que estamos dormindo e rezando para que a gambiara desse certo.

Não deu.

Logo que minha mãe sentou na cama ela se partiu em duas, relevando o que tínhamos feito naquela tarde. A hora que ouvimos o barulho, sabíamos que viria a seguir. Minha mãe soltou um grito e logo depois apareceu no nosso quarto com o chinelo na mão.

Cada um levou uma chinelada, nem quis ouvir que éramos cavalheiros com armaduras numa missão. No final, nosso campo de batalha foi destruído e não conseguimos descobrir qual dos cavaleiros era o mais forte.

Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | portal@museudapessoa.net
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+